Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Mormonismo - Pr. Paulo Romeiro

por Maria Helena, em 04.04.14

Autoria e outros dados (tags, etc)

10 razões bíblicas pelas quais não posso ser Mórmon

por Maria Helena, em 30.01.14

mormo-evan

 

1. O Mormonismo não ensina que a Bíblia é a infalível Palavra de Deus. - "Cremos que a Bíblia é a Palavra de Deus até onde for traduzida correctamente: cremos que o livro de Mórmon também é a palavra de Deus," (Declaração de fé, artigo n° 8).

Na qualidade de cristãos que somos cremos que as Sagradas Escrituras, o Velho e o Novo Testamentos são a Palavra de Deus verbalmente inspirada, a autoridade final para nossa fé e vida, sem erros no original, infalível e inspirada por Deus. Ver: 2 Timóteo 3:16-17; 2 Pedro. 1:20-21; Mateus 5:18.

2. O Mormonismo ensina que Deus é um homem glorificado e que tem um corpo físico. - "Deus mesmo já foi como nós somos agora e é um homem glorificado," (Doutrinas do Profeta Joseph Smith, página 345). "O Pai tem um corpo de carne e osso tão tangível quanto o dos homens?" (Dot. e Cov, Seç. 131:22).

A Bíblia diz: "Deus não é homem," Números 23:19. "Deus é Espírito; e importa que os que adoram o adorem em espírito e em verdade," João 4:24. " um espírito não tem carne nem ossos," Lucas 24:39.

3. O Mormonismo ensina que Cristo e o Diabo são irmãos. "que Lúcifer, o filho da alva, é nosso irmão mais velho e o irmão de Jesus Cristo," (Doutrina Mórmon por Bruce McConkie, páginas 163-164).

A Bíblia diz que o diabo é um ser criado por Deus. "Perfeito eras (o diabo) nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniquidade em ti," Ezequiel. 28:15. "Porque nele (Cristo) foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele," Colossenses 1:16.

4. O Mormonismo ensina que Jesus Cristo era casado e polígamo. "Cremos que o casamento em Caná da Galiléia foi o de Jesus Cristo," (Jornal de Discurso, Vol. 2, página 80). O Mormonismo ensina que Jesus foi o filho natural de Adão e Maria. "Quando a Virgem Maria concebeu o Menino Jesus? Ela não foi gerado pelo Espírito Santo. E quem é o seu pai? Ele é o primeiro na família humana," (Brigham Young, Jornal de Discursos, páginas 50-51).

A Bíblia diz: "No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós?" João 1:1, 14. "E disse Maria ao anjo: Como se fará isto, visto que não conheço homem algum? E, respondeu o anjo, disse-lhe: Descerá sobre ti o Espírito Santo?" Lucas 1:34-35.

5. O Mormonismo ensina que a verdadeira igreja deixou de existir até que foi restaurada por Joseph Smith. A igreja (SUD) foi restaurada em 6 de abril de 1830 por Joseph Smith, (Dot. e Cov. 20:1).

Jesus Cristo disse: "sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela,” Mateus 16:18. A Bíblia ensina: "Porque ninguém pode pôr outro fundamento, além do que está posto, o qual é Jesus Cristo," 1 Coríntios 3:11. "Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina." Efésios 2:20.

6. O Mormonismo ensina outro evangelho (pervertido) e não o evangelho da Bíblia. O evangelho do Mormonismo é: "A fé, o arrependimento, o baptismo, o recebimento do Espírito Santo pela imposição das mãos, a moralidade, a lealdade, o dízimo, a palavra da sabedoria, o dever, o casamento celestial (por toda a eternidade)," (Tratado dos SUD sobre o LIVRE ARBÍTRIO e DECLARAÇAO de FÉ, artigo n° 4).

A Bíblia diz: "Também vos notifico, irmãos, o evangelho que vos tenho anunciado: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado, e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras," 1 Coríntios 15:1-4. "Assim, como já vo-lo dissemos, e agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema," Gálatas 1:9.

7. O Mormonismo ensina a salvação dos mortos através do batismo por procuração. Esta doutrina baseia-se numa única passagem das Escrituras mal-interpretada: "Doutra maneira, que farão os que se batizam por causa dos mortos, se absolutamente os mortos não ressuscitam? Por que se batizam eles então pelos mortos?" 1 Coríntios 15:29. Paulo não praticava o batismo pelos mortos. Ele excluiu-se usando o pronome "eles" e não "nós" ou "vós". Ele estava a fazer uma pergunta e não uma declaração. "E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo?" Hebreus 9:27.

8. O Mormonismo ensina a investigação genealógica dos mortos. "Vamos, portanto, na qualidade de igreja e povo, como Santos dos Últimos Dias, fazer ao Senhor uma oferta de justiça; vamos apresentar no Seu santo templo, quando terminado, um livro contendo o registro de nossos mortos, que será digno de toda aceitação," (Dot. e Cov, Seç. 128:24).

A Bíblia diz: "Nem se dêem a fábulas ou a genealogias intermináveis," 1 Timóteo 1:4. "Mas não entres em questões loucas, genealogias e contendas," Tito 3:9.

9. O Mormonismo ensina que existem profetas modernos e revelações divinas atualizadas. O mormonismo reivindica que Joseph Smith recebeu o Sacerdócio Araônico de João Batista. O Sacerdócio de Melquisedeque e o Apostolado foram restaurados por Pedro, Tiago e João logo após em 1829, (Dot. e Cov, Seç. 13).

A Bíblia diz: "Havendo Deus antigamente falado muitas vezes nestes últimos dias pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo," Hebreus 1:1-2. Encontramos em Deuteronómio 18:20 e 22 o método bíblico para testar um profeta.

10. O Mormonismo ensina que a salvação depende de boas obras e da aceitação de Joseph Smith. "Nenhum homem que rejeita o testemunho de Joseph Smith pode entrar no reino de Deus," (Doutrinas da Salvação, vol. I, página 190). "Os homens tem uma obra a realizar para obter a salvação," (Doutrinas da Salvação, vol. III, página 91).

A Bíblia ensina que a salvação é somente através de Jesus Cristo. "E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos," Atos 4:12. "Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie," Efésios 2:8-9. 

 

Estudo realizado pela:  PRIMEIRA IGREJA BATISTA DO JARDIM DAS OLIVEIRAS - Fortaleza, CE

Pastor David Zuhars

Link: http://www.cacp.org.br/10-razoes-biblicas-porque-nao-posso-ser-mormon/

Autoria e outros dados (tags, etc)

FELIZ NATAL!

por Maria Helena, em 24.12.13

Feliz Natal!

No Natal, o cristão, olha para manjedoura e vê:  As profecias se cumprindo!  O milagre da encarnação sendo realizado.  Jesus vivendo uma vida perfeita (sem nenhum pecado).  Jesus pregando o arrependimento para com Deus.  Jesus ...morrendo por nossos pecados. Jesus ressuscitando com poder e grande glória! Quando o Cristão pensa no Natal, ele pensa no grande amor de Deus que enviou "Seu único Filho" para resolver nosso pior problema — o pecado!







Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:28

O QUE ENSINAM OS MORMONS SOBRE JESUS CRISTO?

por Maria Helena, em 23.09.12

A respeito de Jesus, o Filho de Deus

Acerca do Senhor Jesus Cristo, os mórmons cometem os seguintes desvios: 

Sobre a origem de Jesus:

Se até o Pai é visto como uma criatura, pelos mórmons, não nos surpreende sabermos que eles pensam o mesmo de Jesus. De acordo com os mórmons, Jesus não existe desde sempre, pois afirmam que Ele evoluiu até tornar-se Deus. São dos mórmons estas palavras:

 "Cristo, o Verbo, o Unigênito, já tinha, é claro, atingido o status da Divindade ainda quando vivia na preexistência" (O que os Mórmons Pensam de Cristo?[em inglês], página 36, citado em A Ilusão Mórmon, página 214). E: "Jesus tornou-se um Deus e chegou ao seu grande estado de compreensão mediante esforço consistente e obediência contínua a todas as verdades do evangelho e às leis universais" ( Milton R. Hunter, The Gospel Through the Ages; Deseret Book Co., Salt Lake city, 1945, página 51, citado em A Ilusão Mórmon, 214).

 

Sobre o nascimento de Jesus

Jesus não foi gerado pelo Espírito Santo

Segundo publicações mórmons, Jesus não foi gerado pelo Espírito Santo, mas sim, através de um relacionamento sexual entre Deus Pai e Maria. Na obra Journal of Discourses, 1: 50, 51, lemos: "...Jesus Cristo não foi gerado pelo Espírito Santo..." E no livro Mórmon Doctrine (Doutrina Mórmon), páginas 546 e 742, podemos ler: "Deus o Pai é um Homem santo, aperfeiçoado, glorificado, um personagem imortal. E Cristo veio ao mundo como filho literal deste Ser Santo; ele nasceu no mesmo senso pessoal, real, e literal como qualquer outro filho mortal é nascido de um pai mortal. Não há nada figurativo sobre sua paternidade; ele foi gerado, concebido num curso de eventos natural e normal, porque ele é o filho de Deus, e esta designação significa simplesmente o que isto diz". E: "O corpo físico de Jesus requeria tanto de uma Mãe como de um Pai. Portanto, o Pai e a Mãe de Jesus devem ter sido associados na capacidade de Marido e Esposa, de acordo com a carne..."

Talvez os mórmons tentem provar o contrário, citando O Livro de Mómon, que confirma que Maria era virgem, e concebeu pelo poder do Espírito Santo: "...O Espírito Santo a cobrirá com sua sombra e ela conceberá pelo poder dele e gerará um filho, sim, o próprio Filho de Deus" (Alma 7: 10).

Mas essa possível alegação, só serviria para mostrar o quanto são incoerentes e dúbios.

 

Jesus não nasceu em Belém

Embora a Bíblia diga que Jesus nasceu em Belém (Mq 5. 2; Mt 2. 4-6), O Livro de Mórmon diz que Maria o deu à luz em Jerusalém: "E eis que nascerá de Maria, em Jerusalém..." (Alma 7. 10) .

 

O estado civil de Jesus

Segundo o ICP_Instituto Cristão de Pesquisas_ , a obra mórmon intitulada Journal of Discourses, Vol.2, Página 82 ; e Vol. 4, página 2 5 9, ousa dizer que Jesus era casado e polígamo (Defesa da Fé, Edição especial, Ano 2, Nº 1, 1998, página 130).

E, em Os Fatos Sobre o Mormonismo, da editora Chamada da Meia Noite, edição de 1998, páginas 35-36, lemos: "O primeiro apóstolo mórmon, Orson Pratt, afirmou que Jesus Cristo se casou em Caná da Galiléia, que Maria e Marta (e outras) eram suas mulheres, e que ele teve filhos...". E, para documentar esta afirmação, cita: "Pratt, The Seer, novembro 1853,Vol. 1, Nº 11, página 172".

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

O "DEUS" DOS MÓRMONS IV

por Maria Helena, em 20.09.12

Negam Sua eternidade

Segundo os mórmons, Deus não é eterno em absoluto, ou seja, Ele não existe desde sempre, pois também tem Pai. Disse Joseph Smith: “ De modo que, se Jesus teve um Pai, o que nos impede de crer que o Pai também teve um Pai?”.(Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, página 365, edição de 1975).

Neste mesmo livro, ás páginas 336-337, Joseph Smith afirma que podia provar pela Bíblia que Deus não é Deus desde sempre.

 

Negam Sua triunidade

É  verdade que os mórmons dizem crer no Pai, no Filho e no Espírito Santo; contudo já sabemos que o “pai” deles é diametralmente oposto ao Pai bíblico. E quando nos inteiramos do que eles dizem do Senhor Jesus e do Espírito Santo, percebemos que eles rejeitam a doutrina da Trindade, tal qual está exarada nas páginas da Bíblia. Assim dizemos porque os mórmons asseguram à página 86 de o livro Os Mórmons, que o Pai, o Filho e o Espírito Santo “são três  indivíduos separados, fisicamente distintos uns dos outros... unidos" apenas “"em propósito". Ora, isso é crer em três deuses, não na Trindade bíblica. O Pai, acerca do qual nos fala a Bíblia, é distinto do Filho e do Espírito Santo, mas inseparável destes, pois com os mesmos constitui uma só Divindade. Ora, se são três Pessoas distintas umas das outras, igualmente divinas, constituindo um só Deus, como diz a Bíblia, há, entre os membros da Trindade, algo muito mais acentuado do que uma simples união de propósito.

 

Confundem-nO com Adão, e Com o arcanjo Miguel

Pasme o leitor, mas uma das doutrinas esquisitas dos mórmons, é a que diz respeito ao Deus-Adão. Eis a prova: “...Quando nosso pai chegou ao Jardim do Éden,...trouxe consigo Eva, uma de suas esposas, ...Ele é Miguel, o Arcanjo, o Ancião de Dias!...Ele é nosso pai e nosso Deus, e o único Deus com quem devemos lidar” (Journal of Discourses, Vol.1, páginas 50,51, citado em A Ilusão Mórmon, página 91) . Contudo, em 1976, Spencer W. Kimball, então presidente dos mórmons, na obra mórmon Church News, de 09 de outubro daquele ano, mentiu descaradamente, afirmando que as autoridades mórmons jamais pregaram isso.

 

Não O reconhecem como Criador

Uma das doutrinas mórmons é a de que Deus não criou nada, mas tão-somente organizou as coisas. Para o Mórmons, Deus não é o Criador, apenas o organizador! Os mórmons crêem que a matéria é eterna. O livro Doutrina e Convênios__Manual do Aluno__, página 326, reimpressão de maio de 1998, "explica" como foi que Deus formou a Terra: “... ao formar a terra, não a criou de algo que não existia, mas organizou-a com os materiais que já havia por toda a eternidade...os elementos não tiveram princípio..." Ora, negar que a natureza tenha um Criador, é coisa de ateu, não de cristão (Gn 1.1).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

O "DEUS" DOS MÓRMONS III

por Maria Helena, em 20.09.12

Negam Sua unicidade e singularidade

“E assim os Deuses desceram para formar o homem em Sua própria  imagem, na imagem dos Deuses eles o formaram, macho e fêmea  eles o formaram” ( Abraão, 4: 27). No livro A Ilusão Mórmon, já aludido acima, podemos ler a seguinte pronunciação mórmon: “ Se tomássemos um bilhão de mundos como este e contássemos todas as suas partículas, descobriríamos que existem mais Deuses do que as partículas de matéria nesses mundos” (página 211, citando Orson Pratt, Journal of Discourses, volume 2, publicado por F. D. e S. W. Richards, Liverpool, 1954; edição reimpressa, Salt Lake City, Utah, 1966, página 345).

Essa heresia, além de colidir com a Bíblia (Is 43.10; Ef 4.6; 1Tm 2.5), choca também com alguns dos escritos dos mórmons, como por exemplo, 2 Néfi 31: 21, já mencionado.

 

Negam Sua transcendência

Destoando das demais religiões do mundo, e à moda Nova Era, os mórmons sonham alto. Eles não aspiram apenas a eterna presença de Deus. Na óptica deles, a salvação é algo mais: significa tornar-se Deus. Alcançar o status de Deus é, segundo os mórmons, um sonho realizável. Eles crêem que Abraão, Isaque e Jacó já se tornaram Deuses.

O “profeta” Joseph  Smith, disse: “Abraão... Isaque e Jacó não são anjos, mas sim deuses”. (Doutrina e Convênios, Seção 132:37).  A errónea crença de que Deus já foi como nós somos actualmente, e que nós podemos ser um dia o que Ele hoje é, embora salte aos olhos tratar-se de uma crença irracional e antibíblica, os mórmons não a vêem assim. Certo dia, este autor, querendo se certificar da autenticidade ou não do que ouvira dizer dos mórmons,  perguntou a um  bondoso mórmon: _ É verdade que vocês crêem que Deus já foi como nós somos hoje, e que um dia nós seremos o que Ele  hoje é ? E ele respondeu: _ “Sim, nós pregamos esta verdade, porém, jamais seremos iguais a Deus, pois quando formos o que Ele hoje é, Ele já estará muito além do ponto no qual está hoje”.

Este senhor demonstrou ser um mórmon bem informado, pois realmente os mórmons não só crêem que um dia nós seremos o que Deus actualmente é, como também crêem que nós e Deus evoluiremos infinitamente; e que, portanto, a disparidade entre nós e Ele será mantida eternamente.

Pode ver-se nitidamente que os mórmons crêem que não há qualquer diferença entre nós e Deus, a não ser no que diz respeito à idade, e, conseqüentemente, na experiência. Deus, por ser mais velho, já passou por onde nós ainda não passámos. Mas, com fé e boas obras, nós chegaremos lá, sustentam os mórmons. E ainda tacham de seitas, as igrejas que  divergem deles quanto a isso.

Para que não fique dúvida alguma sobre o que estamos afirmando, veja estas transcrições: “Cremos em um Deus que em si mesmo é progressivo, cuja majestade é a inteligência; cuja perfeição consiste em progresso eterno. um ser que atingiu seu estado de exaltação por um caminho que agora seus filhos têm permissão de seguir, cuja glória é sua herança partilhar. A despeito da oposição das seitas, em face a acusações diretas de blasfêmias, a Igreja proclama a verdade eterna, ‘Como é o homem, Deus uma vez já foi; como Deus é, o homem pode ser’ ” (James E. Talmage, A Study of the Articles of Faith [Salt Lake city: The Church of Jesus Christ of Latter-day Saints, 1952], página 430. Citado em A Ilusão Mórmon, Editora Vida, página 78, grifo nosso).

Segundo Joseph Smith, o homem que conseguir alcançar o status da Divindade, será Deus na verdadeira concepção do termo; e, por conseguinte, será Todo- Poderoso. Até os anjos lhe serão sujeitos (Doutrina e Convênios, 132: 20).

Certamente já provamos que os mórmons não vêem em Deus nenhuma transcendência, pois julgam poder ser um dia, o que Ele hoje é. E isso é gravíssimo. Aspirar ser igual a Deus não é nada louvável. Foi assim que o Diabo caiu (Is 14. 12-15). Eva também foi tentada a ser igual a Deus ( Gn 3. 4-5), e o resultado nós já sabemos.

Como já vimos, os mórmons crêem que Deus é um homem exaltado. E, para ajudá-los a enxergar o absurdo dessa conclusão, devemos fazer três coisas:

1ª) Orar por eles. “As almas custam lágrimas”, diz um de nossos belos hinos. Se orássemos mais pelos perdidos, teríamos mais conversões. Este autor tem muitos testemunhos sobre isto. Precisamos crer mais no poder da oração.

2ª) Informá-los que essa crença é antibíblica (Nm 23.19; Os 11.9; Sl 90.2; Jo 4.24, comparado com Lc 24.39 [É que Jo 4.24 diz que Deus é Espírito; e, Lc 24.39, afirma que um espírito não tem carne e ossos]; Hb 13.8);

3ª) Conscientizá-los de que até O Livro de Mórmon, embora incoerentemente, diz o contrário de suas crenças, como observamos quando citamos Regras de Fé, artigo 1; Livro de Mórmon, 9. 9; Morôni 7. 22; 8.18; Moisés 1. 3; e 2 Néfi 31.21.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

O "DEUS" DOS MÓRMONS II

por Maria Helena, em 17.09.12

O Mórmons negam a imutabilidade de Deus

“Os profetas mórmons têm ensinado continuamente a verdade sublime que Deus, o Pai Eterno, uma vez já foi homem mortal que passou por uma escola da vida terrena similar à qual estamos passando agora. Lembrem-se que Deus, nosso Pai Celestial foi, talvez, em algum tempo, uma criança e mortal como nós somos, e se elevou passo a passo na escala do progresso, na escola do desenvolvimento” (Milton R. hunter, The Gospel Through the Ages_Salt Lake City: Deseret Book Co., 1945, página 104_ citado em A Ilusão Mórmon, páginas 78 e 79, Editora Vida , 2ª impressão, 1991. Grifo nosso.).

Podemos refutar essa doutrina herética, de três maneiras:

1ª) Citando a Bíblia ( Salmo 90. 2; Tg 1. 17; Hb 13. 8; Ml 3. 6 etc.);

2ª) Citando a própria literatura mórmon, pois como já informámos, O Livro de Mórmon sustenta que Deus sempre foi Deus e que assim permanecerá para sempre. Ora, onde há incoerência, há fraude!

3ª) Apelando para o bom senso. Nada evolui infinitamente. Isso só seria possível, se a perfeição não existisse. Mas a perfeição existe, e Deus é portador da mesma. Deus não pode evoluir em poder, pois Ele já é Todo-Poderoso; Deus não pode evoluir em sabedoria, visto que Ele já é Omnisciente; Deus não pode evoluir em sentido algum, visto que Ele é infinito em todos os seus atributos, como: amor, justiça, santidade, poder, sabedoria etc..

O Cristianismo ortodoxo prega que na eternidade não havia nada, além de um Ser incriado, que sempre existiu e que sempre foi o que é hoje, e que para sempre será o que hoje é, ou seja, Ele não era, não é, e nem será jamais, um ser evolutivo. Este Ser é o Criador de tudo quanto existe além de Si próprio. Ele é pessoal. Ele é triúno. Os mórmons não crêem nisto, mas ao agirem assim, estão sendo:

a) Incoerentes: Uma parte da literatura deles também prega que assim é, como já vimos;

b) Fraudulentos: Se não crêem nisto, por que dizem crêr? Por que lançam livros dizendo que crêem na Trindade tal qual nós cremos? Ora, nenhuma incoerência vem de Deus;

c) Inseguros: Enquanto os mórmons negam a eternidade e imutabilidade de Deus, deixam transparecer que não estão seguros do que dizem, já que usam o advérbio de dúvida “talvez”. Sirvamo-nos das suas dúvidas para reforçarmos nossa convicção de que o Mormonismo não vem de Deus.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

O "DEUS" DOS MÓRMONS I

por Maria Helena, em 16.09.12

O que os mórmons pensam e dizem de Deus, é tão gritante que não merece ser criticado. Contudo, por amor a eles e pela fé no poder de Deus para libertá-los, vamos analisar e refutar suas crenças à luz da Palavra de Deus. A experiência mostra-nos que estamos nano caminho certo, pois inúmeros mórmons já se converteram ao verdadeiro Evangelho em todo o mundo.

A respeito da Pessoa de Deus, a literatura mórmon faz uma confusão infernal. Acerca de Deus, encontramos nos livros dos mórmons, desde afirmações respaldadas pela Bíblia, às idéias mais absurdas, como veremos abaixo:

 

A respeito do Pai

 

Afirmações iguais às da Bíblia

a) "...Cremos em Deus, o Pai Eterno, e em seu Filho, Jesus Cristo e no Espírito Santo" (Regras de Fé, artigo 1).

b) "...Deus é o mesmo ontem, hoje e sempre, e...nele não há mudança..." (Livro de Mórmon, 9. 9)

c) "...Deus...por existir de eternidade em eternidade..." (Morôni 7. 22)

d) "...Deus é imutável de eternidade a eternidade" (Morôni, 8. 18).

e) " E Deus falou...: Eis que Eu sou...sem princípio de dias ou fim de anos..." (Moisés 1. 3).

f)  "...E, agora, eis que esta é a doutrina...do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, que é um Deus..." (2 Néfi 31. 21)

 

Afirmações antibíblicas

 

Como o leitor pode ver, as transcrições acima defendem a eternidade de Deus (Ele sempre existiu e para sempre existirá), a imutabilidade de Deus (Ele não evoluiu, não evolui, e nem evoluirá), a Triunidade de Deus (Deus é triúno: O Pai, o Filho e o Espírito Santo), e a unicidade de Deus (há um só Deus). E com isto, nós, os evangélicos, concordamos plenamente. Todavia, com o outro canto da boca, o Mormonismo nega estas verdades, como a seguir provamos com transcrições. Sim, acerca de Deus, incoerentemente os mórmons cometem os seguintes desvios:

Negam Sua essência espiritual

"O Pai possui um corpo de carne e ossos tão tangível como o do homem...” (Doutrina e Convênios, Seção 130: 22).

Essa heresia foi ratificada pelos mórmons em 1978, no livro intitulado Os Mórmons. Na página 86 podemos ler: "...O Pai e o Filho têm corpos de carne e osso, bem parecidos  com os nossos..." Refutamos essa crença mentirosa, citando Jo 4.24: "Deus é espírito..."

Como sabemos, a Bíblia descreve Deus como tendo pés, mãos, olhos, ouvidos...(At 7.49; 11.21; 2Cr7.15 etc). Isso, somado às "revelações" que Deus teria feito a Joseph Smith e demais "profetas" mórmons, levam  os mórmons a concluir que Deus tem  um corpo de carne e osso.

Todavia, a Bíblia fala também das penas e asas de Deus (Sl 91.4)...

Seria razoável deduzirmos que Deus seja igual a uma ave? Pensem nisso os mórmons sinceros!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

O PECADO É BENÇÃO?

por Maria Helena, em 15.09.12

Por mais incrível que pareça, o Mormonismo prega que o pecado é uma bênção.

O Mormonismo garante que o pecado de Adão e Eva foi motivo de bênção para eles e seus descendentes. Isso é dito com todas as letras pelos líderes mórmons.

No livro Princípios do Evangelho, página 31, sob o cabeçalho Grandes Bênçãos Resultaram da Transgreção, podemos ler:

“Algumas pessoas acreditam que Adão e Eva cometeram um sério pecado, quando comeram do fruto da  árvore do conhecimento do bem e do mal. Todavia, a queda foi um passo necessário e uma grande bênção para toda a humanidade. Devido à queda somos abençoados com a oportunidade de ganhar vida eterna ‘Se não fosse pela nossa transgreção, jamais teríamos a vida eterna’ ”

E em 2 Néfi 2: 22-25,  dizem  que a queda de Adão trouxe alegrias, e que nós existimos por causa dela.

Para que os mórmons possam ver o absurdo dessa interpretação, há três coisas que se tornam necessárias: Raciocinar (Rm 12: 1), orar (Tg 1.5) e ler a Bíblia (Rm.3.23; 5.12; 6.23). Porquê esta sequência?

1ª) Porque basta o uso da razão para sabermos que a desobediência a Deus não pode ser, em hipótese alguma, motivo de bênção. Deus, por Sua bondade, pode até abençoar-nos apesar dos nossos pecados, porém, jamais poderá fazer das nossas transgressões, motivo de bênção. Quem consegue raciocinar com sua própria cabeça, sabe disso!

2ª) Embora a razão seja importante, precisamos da luz do Céu para não sermos enganados pelos poderes das trevas;

3ª) A Bíblia diz categóricamente que o pecado trouxe  condenação (Rm 3:23; 6:23ª; 5:12 etc.). Logo, todos aqueles que apresentam o pecado como fonte de bênçãos, como os mórmons fazem, não podem ser vistos como arautos de Deus, embora os mórmons se considerem Seus mensageiros.

Apesar de prosseguirmos no estudo sobre as crenças Mormons, não precisavamos dizer mais nada para provar, à luz da Bíblia, que a Igreja Mórmon não é de Deus, tal o absurdo dessa doutrina infernal, que faz do odioso pecado, a fonte de todo o bem.

Contudo, nos capítulos seguintes veremos muitas aberrações do mesmo nível (e até pior). Uma só heresia de perdição é mais que suficiente para desqualificar qualquer instituição religiosa. Todavia, cremos que quanto mais conhecermos as artimanhas do Maligno, mais hábeis seremos na luta contra ele.

 

 

http://www.pastorjoel.com.br/mormon.htm

Autoria e outros dados (tags, etc)

PODEMOS TESTAR O MORMONISMO?

por Maria Helena, em 15.09.12

O Livro de Mórmon é, pois, de acordo com os mórmons, um Livro Sagrado escrito entre os anos 600 a. C., a 420 d. C., quando então foi enterrado por um homem chamado Morôni, onde permaneceu até que Joseph Smith o desenterrou e traduziu em 1827. O Mormonismo apela, portanto, para o sobrenatural. Porém, há muitas religiões que o fazem também. E nem por isso são igualmente verdadeiras.

Maomé, o fundador do Islamismo, disse que o anjo Gabriel lhe falou face a face. O Adventismo do 7º Dia firma-se numa mentora chamada Ellen White, que alegava ouvir a voz de Deus, dizia ter visões, e escrevia sob “inspiração divina”. Muitos outros exemplos poderíamos dar.

Como cristãos, filhos de Deus por adopção em Cristo, temos o dever de confrontar todos os ensinamentos que alegam ser Bíblicos ou ter respaldo nas Sagradas Escrituras com a própria Palavra de Deus! É o que nos propomos fazer em relação às doutrinas de Joseph Smith.

Inventar uma história como a que constitui O Livro de Mórmon, não é nada sobrenatural, Joseph Smith é o autor dessa invenção. Por que não?

Há romances e novelas mais fascinantes e sobrenaturais do que O Livro de Mórmon. Homero, autor da famosa epopéia intitulada Odisséia, não foi menos criativo do que Joseph Smith, bem pelo contrário.

Quem é o autor de O Livro de Mórmon? Deus, como o supõem os mórmons? O próprio Smith, como supõem alguns? Ou um outro alguém?

A opinião mais comum entre os estudiosos do Mormonismo, a que parece ter mais fundamento, é que um pastor presbiteriano, jubilado, chamado Salomão Spaulding, escreveu uma história fictícia dos primitivos habitantes da América. Joseph Smith teria "arrebatado" de tal história o que constitui a maior parte do Livro de Mórmon.

 

JESUS NO CONTINENTE AMERICANO?

O Livro de Mórmon descreve, além de outras fábulas, a imaginária estadia de Jesus no Continente Americano, bem no início do século I, quando ensinou a verdade, fundou uma poderosa Igreja, ordenou Ministros... e subiu ao Céu.

Como se pode ver, embora a Bíblia diga que quando Jesus ressuscitou, Ele reapareceu aos seus discípulos e, a seguir, foi para o Céu (Mc 16. 19; Lc 24.51; At 1. 9-11), os mórmons crêem que Cristo, ao ausentar-se de seus discípulos, veio para a América, fundar a sua Igreja.

 

QUEM ATIROU PRIMEIRO?

Sempre que alguém se pronuncia contra o mormonismo, os mórmons melindram-se, dizendo que estão a ser perseguidos. A verdade é que foram eles a atirar primeiro, vejamos:

Antes de nós mostrarmos, à luz da Palavra de Deus, que o Mormonismo é falso, Joseph Smith alardeou que Jesus lhe falara que a Igreja Católica, a Igreja Ortodoxa, as igrejas protestantes, e outras, são falsas; que tudo quanto estas igrejas pregam é nojento; e que todos os pastores e padres são corruptos (Pérola de Grande Valor, Joseph Smith, capítulo 2, versículos 17-20). 

Perante isto, fazemos uso do direito de defesa que nos assiste. Mas, muito mais importante que o direito de resposta, o nosso principal objectivo é que Deus possa usar estes estudos para livrar os mórmons que O buscam com sinceridade de coração do embusteiro Smith, do espírito demoníaco que os mantém enganados e da condenação eterna, pregando-lhes o verdadeiro Evangelho.

Isto não é uma "revanche" às críticas que Joseph Smith nos endereçou (críticas estas perpetuadas pelos atuais mórmons, já que reeditam os livros desse mentiroso, dizendo ao mesmo tempo, que crêem que ele falou a verdade).

Ser mórmon implica reconhecer Joseph Smith como autêntico profeta. Todo verdadeiro mórmon tem a seguinte concepção das outras igrejas:

a) São falsas;

b) Ensinam abominação;

c) Seus líderes são corruptos.

Deste modo, os mórmons não podem sentir-se melindrados  perante nossas refutações às doutrinas de Joseph Smith. Se nós podemos e devemos ler os livros que eles publicam (segundo eles), os quais criticam nossas crenças e nos atacam pessoalmente qualificando-nos como corruptos, porque é que os mórmons não podem examinar nossas ponderações às suas convicções religiosas?

Joseph Smith e seus seguidores colocam-nos no banco dos réus e, por isso, devem-nos o direito de defesa. Eles têm o dever de nos ouvir e apreciar nossas ponderações.

Ao chamar-nos corruptos, Smith demonstrou ser um garoto malcriado. Os mórmons são capazes de afirmar que não foi ele quem o disse, e sim, o próprio Jesus. Mas esse gesto covarde,é apenas mais um ardil para dar crédito às suas palavras. Se eles realmente crêem que Jesus disse isso a Joseph Smith, então eles consideram-nos corruptos?

O Livro de Mórmon é, segundo os mórmons, mais perfeito do que a Bíblia. Eles alegam e ensinam que a Bíblia, além de ser incompleta, foi adulterada por homens inescrupulosos, tornando-se por isso num livro usado por Satanás (1Néfi 13: 28-29).

Talvez por acreditarem nessa mentira, os mórmons chamam seitas a todas as outras igrejas.

 

OBSERVAÇÃO: Muito do que dissemos acima, consta d'O Livro de Mórmon, Edição de 1981, páginas 5-14.

(...)

Veremos ao longo deste blog que a religião Mórmon, embora alegue ser a única Igreja verdadeira, nada mais é que uma mistura de Espiritismo, paganismo, panteísmo, charlatanismo, uma pitada de Cristianismo etc., criada por um polígamo charlatão chamado Joseph Smith.

 

 

 

Este texto foi retirado e adaptado do blog http://www.pastorjoel.com.br/mormon.htm

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Gálatas 1:8

No mundo

analfabetismo
Jesus te ama

Contador de visitas


Pesquisar

Pesquisar no Blog  


Arquivos

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D